Madre Inês (Talitha) Guimarães de Azevedo

Nascida em 17 de fevereiro de 1917, em Campos – RJ. Era filha única; seus pais não eram cristãos.

As primeiras noções sobre o cristianismo e vida religiosa (duas irmãs salesianas) vieram através da convivência na família Lamy, na qual passou a viver depois de um tempo da morte de sua mãe.

Em uma estada em Petrópolis, no Convento de Lourdes, decidiu-se entrar no Carmelo São José, mas a fragilidade de sua saúde não a permitiu dar esse passo. Por essa ocasião chegaram de Roma o grupo de doze Irmãs da Companhia da Virgem, com o objetivo de levar vida contemplativa. Resolveu então entrar nesta Comunidade, fundada no Pontificado de Pio X, por Francisca de Carvalho do Rio Negro.

Talitha entrou na Companhia da Virgem em 1939., aos 22 anos de idade, sendo a quarta vocação brasileira. Madre Maria de Betânia foi sua Priora e Mestra de Noviças. Recebeu o nome novo de Ir. Inês dos Anjos. Logo depois da profissão perpétua recebeu o cargo de Subpriora, Madre Vigária e Mestra do Noviciado, postulada, porque tinha 31 anos. Eleita para Priora local e geral, depois do falecimento da antecessora, permaneceu neste cargo durante 17 anos, renunciou ao mesmo em 1965.

Como superiora promoveu a simplificação do hábito. Assumiu com amor, respeito e generosidade, e não sem sofrimento, obteve a união à Ordem de São Bento, em 1967. No Mosteiro de Nossa Senhora das Graças, recebeu a Consagração Virginal e fez seus votos segundo a Ordem de São Bento, junto com as outras Irmãs da Companhia da Virgem, no dia 8 de dezembro de 1969.

Com sua habilidade intelectual, realizou no mosteiro os estudos sobre História Monástica, criando assim os Cadernos Monásticos para uso do Noviciado. Ir. Inês era intelectual, embora sempre muito humilde e reservada. Fez diversas traduções do francês para o português. Escreveu muitas poesias que foram publicadas em um livro, “O Efêmero e o Eterno”, em 2001. Seu pseudônimo era Soror Mínima.

Foi arquivista, cronista e bibliotecária durante muitos anos. Tinha também dons para desenho e música, sendo dela a composição da melodia que usamos para o Te Deum em português. Sob o Abaciado de Madre Eugênia Teixeira, ainda nos seus 83 anos, foi Subprioresa e Conselheira da Comunidade, professora de Liturgia, Doutrina e História Monástica.

No dia 12 de setembro de 2006, aos 89 anos, Ir. Inês, dando exemplo de entrega e abandono nas mãos de Deus, lúcida até o último momento, cercada pelo carinho da Comunidade, partilhando o canto do Salve Regina, tranquilamente partiu deste mundo para a casa do Pai.