Vocação Monástica Beneditina

"O termo monge, no latim monachus, tem sua origem no termo grego monós, (que significa um, um só), um só não no sentido de único, solitário, sozinho, isolado, mas um só no sentido de uno, completo, todo, inteiro, sem divisão. O monge é, pois, aquele que está em busca da sua unidade essencial e existencial, que procura esta unidade fundamental do seu ser em Deus, consigo mesmo, com os demais seres humanos e com o cosmos. O monge alcança a sua unidade sendo um só, com Deus; um só com a humanidade; e um só, com a criação.

Nesse contexto, o monaquismo beneditino reconhece como ponto fundamental, sentido da sua existência e sua razão de ser, a busca de Deus (“si revera Deum querit” = se busca verdadeiramente a Deus, Regra de São Bento 64). Busca de Deus que, no âmbito da Revelação Cristã, identifica-se com o conhecimento de Cristo, conhecimento este que, por sua vez, está necessariamente relacionado com o seguimento de Jesus. Logo, buscar verdadeiramente a Deus é conhecer a Cristo e conhecer verdadeiramente a Cristo é segui-lo, tornar-se seu discípulo e amigo.

O projeto que inspira a vida monástica obedece, pois, a certo ideal e a uma esperança. Na vida beneditina, este ideal de “buscar verdadeiramente a Deus” e “nada antepor ao amor de Cristo” se estrutura sobre três pilares: a oração (ora),o estudo (legere) e o trabalho (et labora). Estas são as colunas que sustentam a sólida edificação da vida monástica beneditina como sendo uma Escola do Serviço do Senhor, “Schola Dominici Servitii” (Prólogo da Regra de São Bento, 45)". (Fonte: Ora et Labora)

Nós, monjas do Mosteiro da Virgem, vivemos essa busca de Deus diariamente através de uma vida de oração, silêncio, trabalho, ascese, estudo, vida fraterna, orientadas pela Regra de nosso Pai São Bento e as Constituições da Congregação Beneditina do Brasil.

O nosso dia é dividido entre oração, trabalho e estudo.

Oração: Rezamos sete vezes por dia a Oração do Ofício Divino, oração oficial da Igreja. Também temos os momentos de lectio divina, Santa Missa diária e oração e adoração pessoal.

Trabalho: Em nosso mosteiro não temos nenhum serviço social, então todos os trabalhos realizados são internos. Além das tarefas domésticas, também temos os trabalhos de fabricação de biscoitos, pães, sorvetes, velas, artesanato, iconografia...

Estudo: Temos os momentos para leitura e estudo particular e comunitário, também temos formação humana pessoal e comunitária. O período de estudo da formação inicial é mais intenso.

 

Formação Inicial

 

"A formação inicial é o tempo privilegiado em que as irmãs candidatas à vida monástica contemplativa, com um especial acompanhamento da formadora e da comunidade, são iniciadas naquela sequela Christi, segundo um determinado carisma, assumindo e integrando progressivamente os seus especiais dons pessoais com os valores autênticos e característicos da própria vocação.

A formação inicial é estruturada em três etapas consecutivas: o postulantado, o noviciado e o tempo de profissão temporária, precedidas do aspirantado, nas quais as candidatas crescem e amadurecem até chegar a assumir definitivamente a vida monástica". (Cor Orans  250 e 251)

ASPIRANTADO

"O aspirantado, considerado um primeiro conhecimento do mosteiro por parte da candidata e da candidata por parte da comunidade do mosteiro, comporta uma série de contatos e tempos de experiência em comunidade, mesmo prolongados. Este conhecimento será útil também para preencher nesta fase eventuais lacunas no caminho de formação humana e religiosa.

O aspirantado, com duração mínima de doze meses, pode ser prolongado segundo as necessidades a critério da Superiora maior, ouvido o Conselho, mas não além de dois anos". (Cor Orans 262 e 268)

POSTULANTADO

"O postulantado é uma etapa necessária para a adequada preparação ao noviciado, durante a qual a candidata confirma a própria determinação para converter-se através de uma progressiva passagem da vida secular à vida monástica contemplativa.

O postulantado tem uma duração mínima de doze meses que pode ser prolongado segundo as necessidades pela Superiora maior, ouvido seu Conselho, mas não deve superar os dois anos.

Durante este período as postulantes vivem no mosteiro e seguem a vida de comunidade segundo as prescrições da mestra". (Cor Orans 269, 275 e 276)

NOVICIADO

"O noviciado é o tempo em que a noviça inicia a vida em um determinado Instituto, continua o discernimento vocacional e o aprofundamento da própria decisão de seguir Jesus Cristo na Igreja e no mundo de hoje, segundo um determinado carima.

O noviciado tem a duração de dois anos, dos quais o segundo é aquele canônico". (Cor Orans 277 e 279)

PROFISSÃO TEMPORÁRIA

"Compreende o tempo de formação inicial que vai da primeira profissão dos votos temporários à profissão solene, no qual a professa continua a formação espiritual, doutrinal e prática.

A profissão temporária é emitida por três anos e renovada anualmente até o cumprimento de cinco anos, completando um mínimo de nove anos de formação inicial". (Cor Orans 286 e 287)

 

Se você, jovem, sente o desejo de se consagrar inteiramente a Deus, sendo uma monja beneditina, através de uma vida de oração, silêncio, trabalho, ascese, estudo, fraternidade, entre em contato conosco:

 

12 + 7 =