Escolha uma Página

CAPÍTULO XXXII – O MORTO RESSUSCITADO

Cap. 32 - Vida e Milagres de São Bento
“Certo dia havia Bento saído com os irmãos para os trabalhos do campo, quando um camponês, trazendo nos braços o corpo de um filho morto, veio ao mosteiro, todo aflito pela perda e perguntou pelo Pai Bento. Quando lhe disseram que o Pai estava no campo com os irmãos, sem delongas depôs o corpo em frente à porta do mosteiro e, transtornado pela dor, lançou-se a correr em busca do venerável Pai.

Naquela hora o homem de Deus já voltava do campo com os irmãos. Apenas o camponês o viu, começou a gritar: “Devolve meu filho, devolve meu filho!” O homem de Deus parou ao ouvir estes clamores, e disse: “Acaso te tirei o filho?” – “Ele morreu, vem, ressuscita-o” , respondeu o camponês. Ouvindo isto, o servo de Deus ficou muito triste e disse: “Retirai-vos, irmãos, retirai-vos; tal poder não compete a nós, mas aos santos Apóstolos. Porque queres impor-nos um peso que não podemos suportar?” O infeliz, porém, impelido por uma dor profunda, persistia no pedido, jurando que não se retiraria sem que Bento lhe ressuscitasse o filho. “Onde está?”, interrogou então o servo de Deus. Ao que aquele respondeu: “O corpo jaz à porta do mosteiro”. Quando ali chegou o homem de Deus com os irmãos, dobrou os joelhos e debruçou-se sobre o corpinho da criança. Erguendo-se depois, estendeu para o céu as mãos, e disse: “Senhor, não consideres os meus pecados, mas a fé deste homem que roga lhe seja ressuscitado o filho; e restitui a este corpinho a alma que tiraste”. Mal terminara as palavras da oração, quando o corpinho inteiro da criança estremeceu por aí voltar a alma, e todos os presentes viram que no maravilhoso abalo o corpinho palpitava a tremer. Bento, então, agarrou-lhe as mãos, e devolveu-o vivo e incólume ao pai.

É evidente, Pedro, que não estava em seu poder tal milagre, pois que, para conseguir fazê-lo, teve de prostrar-se e orar.”

Pedro: “É certo que as coisas são como dizes, pois provas com fatos as sentenças que propões. Peço-te agora que dês a conhecer se os santos homens podem tudo que querem, e obtêm tudo que desejam.”